Manejo de Irrigação: saiba QUANDO e QUANTO irrigar sua lavoura

 

Saber quando e quanto irrigar a sua plantação é essencial para obter melhores resultados na produtividade. Além disso, ter um manejo de irrigação correto pode  ajudar a reduzir gastos desnecessários com água e energia elétrica. 

É por isso que essa postagem vai contar a você tudo ABOUT como tornar a sua tomada de decisão mais assertiva no momento de irrigar.

Sabemos que a irrigação é uma técnica milenar fundamental para o desenvolvimento da agricultura, já que permite melhorar significativamente os resultados da produção.

De acordo com a última edição do Atlas Irrigação, lavouras irrigadas chegam a produzir, em média, 3 vezes mais que o sequeiro. Isso contribui de forma importante para a segurança alimentar da população brasileira: só no arroz e na horticultura, mais de 90% da produção utiliza a irrigação.

E o aumento da produção é apenas um dos benefícios de se utilizar a técnica. Possuir um método e um sistema de irrigação eficientes também é garantir a qualidade do produto, a produção na entressafra e a possibilidade do uso intensivo da terra.

Mas, para obter esses bons resultados, não basta apenas irrigar: é preciso manejar o sistema com eficiência e qualidade – sendo esse um dos maiores desafios do produtor atualmente.

Irrigar x Irrigar com qualidade

Segundo dados da ONU, cerca de 70% de toda água utilizada no Brasil vai para a irrigação. Considerando que a eficiência média dos sistemas no país hoje é de 60%, é possível concluir que grande parte da água não está sendo aproveitada adequadamente.

Assim, é possível ver o reflexo desses dados diretamente nas lavouras e também no dia a dia do produtor.

O estresse hídrico (falta de água), assim como o excesso de irrigação, são dois problemas frequentes que atingem as culturas e comprometem a produtividade.

A falta de umidade ocasiona problemas de crescimento na planta. Assim, faz com que ela não se desenvolva corretamente. Já o excesso de água pode favorecer o surgimento de doenças, o que também prejudica a saúde da cultura.

Diante desse cenário, o bolso do produtor também sofre: os gastos com energia elétrica e água são elevados, enquanto os rendimentos ficam fora do máximo possível para a safra. Ou seja: alto investimento e baixa produtividade.

 

Métodos e sistemas de irrigação

O primeiro passo para obter bons resultados com a irrigação do solo é escolher o método e o sistema corretos

O método de irrigação é a maneira pela qual a água pode ser aplicada às culturas. Já o sistema se refere à disposição dos elementos que funcionam como uma estrutura organizada para possibilitar a irrigação. 

Assim, a partir do método escolhido, há mais de um sistema de irrigação que pode ser empregado. Essa grande disponibilidade de tipos de sistemas de irrigação deve-se à variação de solo, clima, culturas, disponibilidade de energia e condições econômicas da produção.

Em geral, existem quatro principais métodos de irrigação: superfície, aspersão, localizada e subirrigação. Confira os sistemas que podem ser utilizados em cada um deles no quadro abaixo:

 

MétodoSistema
Irrigação por superfícieEm nível
Em declive
Irrigação por aspersãoConvencional
Autopropelido
Pivô central
Irrigação localizadaGotejamento
Microaspersão
Subsuperficial
Subirrigação(não existe
um sistema
específico)

Irrigação por superfície

 

O método de irrigação por superfície consiste na distribuição da água por gravidade através da superfície, ou seja: a água é depositada diretamente no solo. Esse método é utilizado, principalmente, nos cultivos de arroz e milho.

Aqui no Brasil, o cultivo do arroz por inundação é responsável por 25% da área irrigada do país, o que corresponde a aproximadamente 2 milhões de hectares (Atlas Irrigação 2021).

 

Irrigação por aspersão

 

Já o método de irrigação por aspersão consiste no lançamento de jatos de água no ar, que caem sobre a cultura em forma de precipitação.

É um dos métodos mais utilizados nas lavouras do mundo, já que é capaz de se adequar aos mais diversos tipos de terreno e situações (Coleção SENAR 2019). 

Em 2019, no Brasil, foram identificados 1,5 milhões de hectares irrigados por pivôs centrais, um dos sistemas mais utilizados para esse método (Levantamento da Agricultura Irrigada por Pivôs Centrais no Brasil, 2019).

 

Irrigação localizada

 

Na irrigação localizada, a água é aplicada em apenas uma fração do sistema radicular das plantas através de emissores pontuais (gotejadores), lineares ou superficiais.

Em 2020, a área de irrigação localizada teve um aumento de 15% no Brasil, se comparado a 2019. Ao todo, são 78.775 mil hectares.

 

Subirrigação

 

E, por último, também chamada de drenagem controlada, a subirrigação é um método que aplica a água diretamente na subsuperfície do solo.

No Brasil, segundo um estudo da Unicamp, ainda não existe um levantamento oficial da área irrigada por esse método. Isso porque é uma tecnologia relativamente nova e que ainda não está incluída nos censos ou levantamentos sobre irrigação.

Finalmente, após escolhido o método e o sistema mais adequados para o contexto, é essencial conhecer as necessidades hídricas da cultura para manejar de forma correta a irrigação no campo. E a tecnologia tem se mostrado a saída mais assertiva para que a agricultura se desenvolva de forma sustentável.

 

A tecnologia como aliada no manejo de irrigação

 

Uma pesquisa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) mostra que, para atender ao crescimento populacional, a produção mundial de cereais terá que aumentar cerca de 1 bilhão de toneladas até o ano de 2030.

Assim, a tecnologia no campo vem como uma importante aliada. E não apenas para ajudar a suprir essa demanda com maiores produções, mas também para otimizar rendimentos, além de garantir maior segurança nas operações.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), 67% dos produtores agrícolas já utilizam algum tipo de tecnologia hoje.

Sem dúvida, a agricultura irrigada não fica de fora desse processo: a transformação tecnológica na área nos possibilitou o desenvolvimento de uma ferramenta que auxilia o produtor na tomada de decisão sobre o momento e a quantidade certa de irrigação.

 

O sistema Raks de manejo de irrigação

 

É por isso que a Raks tem o sistema mais eficiente e preciso do mercado para manejo de irrigação

Nosso objetivo é ajudar você, produtor, a produzir mais alimentos com menos recursos hídricos e energéticos.

Sem cabos ou fios no meio da plantação, o sistema Raks é alimentado por placas solares e ainda faz você economizar tempo no seu dia a dia. 

Com a nossa solução, não é preciso mais ir até o campo para checar a umidade do solo ou fazer a verificação de tensiômetro. Você pode acessar a plataforma e saber as condições de solo, planta e clima de onde estiver, através do seu telefone.⠀

 

Saiba QUANDO e QUANTO irrigar

 

O sistema de monitoramento Raks mede a umidade do solo, somando os dados deste com os da planta e do clima – e tudo através de sensores TDR de altíssima precisão em campo.

Assim, juntamos estes dados e mostramos a você, através da nossa plataforma no celular, QUANDO e QUANTO irrigar a sua plantação.

Tenha maior controle do uso da água, evite a falta ou excesso e garanta a eficiência do seu manejo de irrigação!

E o melhor: a instalação do nosso sistema é fácil e pode ser feita pelo próprio usuário, sem a ajuda presencial da nossa equipe.⠀

 

Histórias de quem confia na Raks

 

Confira os depoimentos de alguns profissionais que já utilizam o sistema Raks de manejo de irrigação:

“A nossa rotina de irrigação era feita visualmente – olhávamos o estado da umidade do solo e assim tomávamos a decisão de inserir mais água ou não. Com o sensor de umidade da Raks nós conseguimos ter dados técnicos e assim tornamos muito mais preciso o nosso manejo de irrigação.”Ícaro Borges Tavares – Eng. Agrônomo (Agro Montebelo)

“A proposta da Raks é interessante para o produtor rural porque o monitoramento é em tempo real através do celular, sem a necessidade de se deslocar até o campo. Para nós, que temos inúmeros pivôs distantes uns dos outros, foi a solução ideal!”Grasiela Bergamaschi – Administradora (Fazenda SAMA)


Quem usa, sabe: o sistema Raks é
completo e proporciona uma tomada de decisão rápida e no momento certo. Basta acessar a plataforma e verificar as condições hídricas da cultura!

Assuma o controle do seu sistema de irrigação

 

Agora você já sabe que, quando aliada à tecnologia certa, a irrigação do solo possibilita a redução de riscos, além de melhorias de produtividade e de utilização racional da água.

É por isso que a Raks oferece um sistema inteligente que permite que você, produtor, saiba quando e quanto irrigar sua lavoura.

Com sensores de desenvolvimento próprio que medem em tempo real a umidade do solo, você vai assumir de uma vez por todas o controle do seu sistema de irrigação, produzindo mais com menos recursos.

Faça um orçamento sem compromisso agora! Clique aqui e fale com um de nossos especialistas.

 

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Scroll to Top